Os Peregrinos

O caminho não é novo... O novo está em nós, no nosso jeito de caminhar!

"Ladrão que rouba ladrão, tem 100 anos de perdão!"

Das arábias vêm contos que preenchem o nosso imaginário de ouro, belas mulheres, suntuosos palácios, banquetes e outras riquezas! Quem não quer ser o bom ladrão, seja ele Ali Babá ou Aladim? Ou então a astuta Scherazade, versão feminina e oriental do nosso estimado Pedro Malazarte?

"O bom brasileiro é aquele que leva vantagem em tudo!"

Esta verdadeira maldição é uma herança imposta pela dita sabedoria popular! A mesma que -- dizem -- ser "vox Populi, vox Dei" (a voz do Povo é a voz de Deus)! É uma máxima, impregnada na cultura da gente!
Mas que deus é esse que manda tirar vantagem de tudo?

Ainda ontem escutávamos no jornal: "Deputados da Bahia votam pelo aumento do próprio salário" (para R$ 16.000,00)... Isso é revoltante, não é??? Mas tem um lado bom! Por exemplo, foi o que chamou a nossa atenção para outro detalhe, importantíssimo! Enquanto ficamos anestesiados, vendo Lula e Alckmin se degladiarem, medidas importantes são votadas no Congresso! Estamos acompanhando??? Sabemos o que está acontecendo??? O que os deputados e senadores estão decidindo por nós??? O que vai ficar de herança, em 2007, para o Presidente e governadores eleitos e para nós, povo?

PRECISAMOS AGIR!!! Mas o que nos move será mesmo o desejo de um país mais justo?

Na mesma reportagem, um cidadão revoltado dizia: "É um absurdo (esse aumento)! E o meu??? Não aumenta, por quê???" Quer dizer... Se o salário deste trabalhador fosse também de R$ 16.000,00, deixaria de ser um absurdo?

Parece que ainda somos crianças, cheias de manha sem o brinquedo, mas que, uma vez com o objeto do desejo na mão, pouco se importam se os demais também têm o que querem (e precisam)! Dá-nos "o pão NOSSO de cada dia", então, torna-se um enunciado "da boca pra fora", não é???

Com isso, só se pode concluir, então, que a revolta da população, não vem da falsa moral dos senhores políticos, mas de o dinheiro circular na mão deles e, não, na nossa! Só isso explica porque o ato de devolver uma bolsa cheia de dinheiro ou de pertences valiosos vira notícia, como se fosse -- e é -- um fato raro, ou um fenômeno incompreensível!

No fim das contas, Cristóvam Buarque tinha razão... Nosso problema é EDUCAÇÃO! E nenhuma política de curto e médio prazo poderá resolvê-lo!
Aliás, nenhuma atitude isolada pode fazê-lo! Por isso, parafraseando
Marx:

"Cristãos do mundo inteiro, uni-vos!!!"

Mas como??? Quando??? Onde??? Quem sabe, no dia em que resolvermos pensar no bem comum, saibamos responder todas essas perguntas...

(pessoa) LULA x (pessoa) ALCKMIN???

"Pessoas medíocres falam sobre pessoas,
Pessoas normais falam sobre coisas,
Pessoas inteligentes falam sobre idéias."



Coisa mais intragável um debate político. No entanto, nada é mais eficiente para fundamentar a escolha do nosso presente e do nosso futuro. Só que fica difícil escolher quando, em vez de projetos, discute-se caráter.
Outro dia me perguntaram com quais pontos do projeto do Alckmin eu não concordava. Se eu tivesse apenas o recurso da TV, não saberia responder. Isso porque o candidato, tanto no debate de ontem quanto em toda a sua campanha, gastou tanto tempo tentando atingir a moral de seu oponente que freqüentemente era interrompido pelo mediador do debate justamente quando começaria a falar de seu governo.
Tá certo... o Lula também não é santinho!
Ambos se chamaram de desinformados, levianos, hipócritas e bravateiros. Mas perdi a conta de quantas vezes o Lula foi chamado de arrogante, mentiroso, irresponsável, mal educado e mau caráter.
Só que isso não foi o mais irritante.
O debate mostrou o que o governo federal fez e o que não fez. Por força dos acontecimentos e da política moralista, do Alckmin e da população, a ética dos últimos 4 anos foi muito mais debatida do que os projetos que conduzirão os próximos 4 anos. Pena que eu não pude interagir com a TV, pois queria muito ser ouvido pelos candidatos, ao dizer: "Tá... e o que vai ser daqui pra frente???"
Cansei de ouvir os candidatos repetirem, feito papagaios, os dados e números dos últimos 15 anos, que diariamente rolam pela internet, dispostos sempre de forma parcial, conforme os interesses de um ou de outro.
Aí vem o Alckmin, na entrevista pós-debate, dizer que o governo atual é retrô e que ele vai discutir o futuro. Mas por que não fez isso até agora?
Queremos tanto uma política moderna, mas tanta ênfase no aspecto moral, alimentada pela mídia graças ao forte apelo popular, mostra que ainda queremos um Jânio Quadros (conhecido por medidas como a proibição de biquinis na praia). Talvez, por isso, Alckmin (que não é bobo) tenha adotado o papel de paladino da justiça. Por 3 vezes ele chamou seu oponente de mau caráter e se denominou (literalmente) o salvador da pátria, tendo como resposta o pedido de Lula para que fossem debatidos os projetos, em vez de pessoas. Após a 4ª alfinetada, Lula perdeu as estribeiras e aí virou uma luta franca, onde todos perdemos.
No fim, vi-me obrigado a escolher por simpatia. E aí, desculpem-me os tucanos, mas eu sempre fugi dos "salvadores da pátria", pois conheço um tal de Bush e um tal de Hitler, que acreditaram piamente estar fazendo um bem inestimável ao mundo... e, no entanto, todos sabemos no que deu (e está dando) esta prepotência.

o Homem do milênio

Francisco de Assis nasceu na cidade de Assis, Úmbria, Itália, em 1182. Pertencia à burguesia, e dessa condição tirava todos os proveitos. Como seu pai, tentou o comércio, mas logo abandonou a idéia por não ter muito jeito para isso. Sonhou, então, com as glórias militares, procurando desta maneira alcançar o status que sua condição exigia. Contudo, em 1206 para espanto de todos, Francisco de Assis abandonou tudo, andando errante e maltrapilho, numa verdadeira afronta e protesto contra sua sociedade burguesa. Entregou-se totalmente a um estilo de vida fundado na pobreza, na simplicidade de vida, no amor total a todas as criaturas. Com alguns amigos deu início ao que seria a Ordem dos Frades Menores ou Franciscanos. Com Santa Clara, sua dileta amiga, fundou a Ordem das Damas Pobres ou Clarissas. Em 1221, sob a inspiração de seu estilo de vida nasceu a Ordem Terceira para os leigos consagrados. O pobrezinho de Assis, como era chamado, foi uma criatura de paz e de bem, terno e amoroso. Amava os animais, as plantas e toda a natureza.

Poeta, cantava o Sol, a Lua e as Estrelas. Sua alegria, sua simplicidade, sua ternura lhe granjearam estima e simpatia tais que fizeram dele um dos santos mais populares dos nossos dias.


Image Hosted by ImageShack.us


ORAÇÃO - Glorioso São Francisco, Santo da simplicidade, do amor e da alegria. No céu contemplais as perfeições infinitas de Deus. Lançai sobre nós o vosso olhar cheio de bondade. Socorrei-nos em nossas necessidades espirituais e corporais. Rogai ao nosso Pai e Criador que nos conceda as graças que pedimos por vossa intercessão, vós que sempre fostes tão amigo dele. E inflamai o nosso coração de amor sempre maior a Deus e aos nossos irmãos, principalmente os mais necessitados.

São Francisco de Assis, rogai por nós. Amém.

- ORAÇÃO DA PAZ -
Senhor! Fazei de mim um instrumento da vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor.
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.
Onde houver discórdia, que eu leve a união.
Onde houver dúvidas, que eu leve a fé.
Onde houver erro, que eu leve a verdade.
Onde houver desespero, que eu leve a esperança.
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria.
Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, fazei que eu procure mais:
consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe.
É perdoando que se é perdoado.
E é morrendo que se vive para a vida eterna.
Abraços Peregrinos - Babi e Zé