Os Peregrinos

O caminho não é novo... O novo está em nós, no nosso jeito de caminhar!

Eu queria falar de flores, mas...

“Faça saber da sua indignação!”
(Cardeal Geraldo Majella Agnelo - Presidente da CNBB e Arcebispo de Salvador – BA)

Poxa... A gente bem que podia estar aqui, agora, falando de festas de fim-de-ano, sonhos e esperanças para 2007, pratos para a virada, mas...

Nem bem chega o Ano Novo e o Congresso aumenta em 90% o próprio salário! Pode até ser manobra pra garantir a reeleição dos Presidentes das Casas... Mas não deixa de ser uma afronta ao povo brasileiro!

Já dizia o famoso filósofo: “O povo tem os líderes que merece!”

Fomos nós que os colocamos lá! Alguns deles já haviam nos decepcionado... E mesmo assim garantimos o retorno deles!

Teve um até que foi esfaqueado por uma mulher, por causa disso: ACM Neto!!! Só a Globo não noticiou o motivo do atentado! Preferiu dizer que a mulher tinha problemas mentais!

Mas vocês pensam que só em Brasília a sacanagem acontece? Nossa governadora, ainda não empossada, ganhou as eleições com o slogan: “Novo jeito de governar”! Entre as propostas, ela prometia diminuir o número de secretarias e os impostos!

Entretanto, ela nem foi empossada ainda e já mostrou seu jeito novo de governar! Aumento dos impostos e das secretarias e congelamento do salário do funcionalismo público! O povo só não entendeu ainda o que tem de novo nesse jeitinho de governar!

Aliás, assim também não dá pra entender como o governo quer combater a sonegação, a pirataria, a informalidade e a evasão industrial do Estado! Mas tudo bem...

Outra promessa é não privatizar o Banrisul! Um cientista político disse que as medidas são boas, mas não suficientes; é preciso também vender algumas estatais! Ao que parece, a promessa de não privatizar o Banco será mantida! Em vez disso, a exemplo de outros governos de PFL e PSDB, mais um Banco regional será vendido!

E aí a gente se pergunta: “O que fazer?” Se ainda estamos em dúvida, parece que a Igreja, através da CNBB, já tomou uma iniciativa! Além da frase supra-citada (de Dom Geraldo), outro Bispo se manifestou em uma Missa para os parlamentares:

“Como aceitar que um parlamentar brasileiro receba mais de R$ 800 por dia, quando uma boa parte das pessoas que representa é obrigada a conviver com menos de R$ 400,00 por mês?”

(Dom João Braz de Aviz – Arcebispo de Brasília)

E olhem que a Igreja é sempre culpada de conivência com os poderosos! Entretanto, enquanto outras religiões pregam o "cada um é cada um" e se preocupam em tirar os demônios do corpo, ou abrir os caminhos do indivíduo para o ano vindouro, uma voz preocupada com o outro, com o bem-estar social se manifesta!

É, pessoas... Será que é só mesmo acabando com o futebol e a cerveja que nós, povo, tomaremos uma atitude? Será que estamos surdos até mesmo para o apelo da Igreja?

Felizmente, uma parte da sociedade conseguiu impedir o aumento dos parlamentares e as medidas da governadora do RS! Mas imaginem o que mais conseguiremos, se toda a sociedade estiver empenhada? Imaginaram??? Então que tal concretizarmos agora???

Dessa vez não vamos só desejar... Vamos colocar como meta: “Façamos um Feliz 2007!!!"

"Seja pobre, ou seja rico, o velhinho sempre vem..."
(Pode ser... Mas de que velhinho estamos falando?)

Advento puxa Natal, que para alguns lembra Cristo e, para outros, Papai Noel e presentes! Em nosso post anterior, era disso que falávamos, não é mesmo!?!

Como bem lembrado, em um dos comentários ao post anterior, tem quem acha positiva a crença no Papai Noel porque suscita pelo menos um "mínimo de bondade" nas pessoas!

Mas então vejamos... Que mínimo de bondade é esse, estimulado pela cultura anglo-saxã? Um "bom"(?) velhinho – na verdade, o Garoto-Propaganda da Coca-Cola –, cuja imagem acaba se tornando maior do que seu "muso" inspirador (São Nicolau), e que só atende aos desejos dos meninos "bonzinhos"!

Quem são esses meninos bonzinhos? Bom... Em primeiro lugar, eles não podem ser pobres, porque Papai Noel só entrega presentes... Quem compra são os pais! Como uma criança, que não foi "abençoada" por São Capitalismo, vai compreender que foi boazinha o ano inteiro e mesmo assim Papai Noel não veio?

Em segundo lugar, ser bonzinho parece mesmo estar vinculado ao poder aquisitivo, pois um garoto mimado e/ou que não faz outra coisa a não ser judiar dos que não fazem parte da sua patota (normalmente, os menorzinhos, pois não oferecem resistência), acaba recebendo a visita do "bom"(?????) velhinho... Um prêmio por suas ações, será???

Em terceiro lugar, todo bem, feito na esperança de se receber algo em troca, já não é um bem de verdade! Trata-se, isso sim, de uma interessante "pedagogia do capitalismo", treinando ludicamente nossas crianças para as técnicas mercantilistas, de barganha, de negociação, que serão utilizadas quando elas enfim chegarem à idade adulta e tiverem que enfrentar a "dura concorrência desse mundo cão"!

Essas mesmas crianças, por serem assim criadas, uma vez adultas, passam a tratar a Fé comercialmente também! Vai promessa, vem "graça" (se está vinculado a uma promessa, já não é gratuito... Por isso o "graça", entre aspas)! Rezar limita-se a pedir! Agradecer é opcional... O mais importante é pagar a dívida (= promessa)!

Porque assim crêem, pensam que Deus age da mesma forma, em relação às nossas faltas! Por isso dizem que tudo o que fazemos tem volta! Tem até o ditado que diz: "Aqui se faz, aqui se paga!" Ou: "O castigo vem a cavalo!" Alguns, ainda mais escrupulosos, afirmam que as coisas voltam em dobro! É o tal do: "Deus não mata, mas achata!"

Se com Deus, a relação vira mercantilista, imaginem com os familiares e amigos! Pai e mãe só servem pra bancar, patrocinar! Os amigos só são úteis enquanto tiverem algo a oferecer e, de preferência, se não exigirem muito em troca! Maridos e esposas, então, só sendo bons de cama, ou inteligentes, ou oferecerem qualquer outro atrativo do qual possamos tirar vantagens!

E o que o aniversariante – como assim: “que aniversariante???” Jesus, ora essa!!! Por que vocês acham que comemoramos um dia chamado “Natal”? – Então... O que Ele diz??? “De graça recebestes; de graça dai!” (Mt 10, 8b)

Bom... Talvez não precisemos mais explanar o assunto, né!?! Já ficou entendido... Ou não!?! Dito isso, será que ainda teremos essa visão "romântica" de uma cultura que, mesmo substituindo Cristo por Papai Noel, prega um "mínimo de bem"?

o q há de vir????

Tu vens... tu vens... eu já escuto os teus sinais...

Neste domingo tivemos o início do ano litúrgico, com o primeiro domingo do Advento.

(pausa para a etimologia)

----------------------------------------------
ADVENTO, do latim: AD = "a" + VENIRE = "vir"; ou seja: "O que está por vir"!
----------------------------------------------

(continuemos)

Bom, advento é tempo de esperar o que vem...

Cristo vem!

Mas Cristo VEM!
Ele não ‘virá’, nem ‘veio’...
Ele VEM, e vem AGORA, o tempo inteiro, sempre.
É o Verbo que vem continuamente.

Então... o que estamos a esperar?
Que tempo é este que a Igreja nos propõe, para que preparemos a chegada do Messias?

Ontem fazíamos uma bela reflexão em casa, e a conclusão que chegamos é que o que tem que ser preparado é o nosso espaço, a nossa vida, o nosso tempo, para que este Cristo possa efetivamente chegar em nossas vidas, e aqui (na minha e na tua vida) ser mudança.

Que coisa linda!

Que lindo pensar que este Deus nos chama, mas não fica esperando, ele VEM ao nosso encontro.
Mais lindo ainda é pensar que este mesmo Deus não invade nossa vida e nossa tão valiosa 'privacidade/liberdade' sem que façamos a nossa parte, abrindo as portas (ou, neste tempo de advento, preparando a manjedoura...)

E como nós nos preparamos?

O Pe Stoffel chamou a atenção na missa deste domingo, para que observássemos a mídia. Não se fala em Cristo. O pobrezinho foi simplesmente deletado do Natal, pode isso???

E nós, como boas 'maria-vai-com-as-outras', caímos nesta, enchemos a casa de papais noéis (que em muito pouco lembram o verdadeiro São Nicolau, de onde a lenda surgiu, e cujo dia é hoje, 06/12) e luzinhas. Usamos toucas vermelho e branco, em calor de 40º, e enfeitamos nossas árvores com neve.
É o fim da picada.

Será que não podemos mesmo ajudar o mundo ( e principalmente a nós mesmos) a escutar os sinais deste Cristo que vem?