Os Peregrinos

O caminho não é novo... O novo está em nós, no nosso jeito de caminhar!

Apesar do Vaticano...

12.03.07 - Vaticano condena teólogo da libertação

(fonte: Adital)

Adital - O arcebispo de San Salvador, Fernando Sáenz Lacalle, confirmou que a Congregação para a Doutrina da Fé notificou Sobrino sobre a proibição de que ministre aulas em qualquer centro católico "até que revise suas conclusões".

Sáenz Lacalle disse que o Vaticano "há algum tempo estuda os escrito de Sobrino e que há muitos anos faz advertências a ele".

Quem é Jon Sobrino?

Nascido em Bilbao (Espanha), em 27 de dezembro de 1938, Jon Sobrino reside em El Salvador há cinqüenta anos. Dedicado, em grande parte, ao trabalho docente na UCA e a escrever numerosas obras, principalmente sobre a Teologia da Libertação.

Foi um dos criadores da Universidad Centroamericana de San Salvador e um dos maiores propagadores da Teologia da Libertação, sobre a qual escreveu uma dezena de livros.

Heresia

A Congregação para a Doutrina da Fé - sucessora da Inquisição - acusa Sobrino de «falsear a figura de Jesus», e mais concretamente de «não afirmar abertamente sua consciência divina»; ou seja: ela afirma que o jesuita vasco-salvadorenho caiu na «velha heresia» de acentuar demasiado o lado humano da figura de Jesus de Nazaré e de «ocultar sua divinidade». Por isso, o Vaticano aprovou um texto no qual decidiu que ele está proibido, como uma forma de «penitência», de dar aulas em centros eclesiais, ou de publicar livros com o «nihil obstat» da autoridade eclesiástica.

Teologia da Libertação

Toda essa confusão criou uma grande comoção tanto na Companhia de Jesus como no restante da classe eclesiástica, porque Jon Sobrino hoje é um dos máximos expoentes da doutrina conhecida com Teologia da Libertação, um movimento de caráter religioso, político e social, surgido na época do Concílio do Vaticano de 1962-1965 e que, afinal, não é mais do que um movimento em favor dos pobres e marginalizados, propositor da justiça social.

A Teologia da Libertação se desenvolveu rapidamente por toda a América Latina, apesar de a hierarquia da Igreja Católica ter se oposto a ela desde o primeiro momento.



Nossos comentários:

É o tipo de notícia que nos dá vergonha... Mas não podemos nos prender a esta vergonha para deixar de construir ações que rompam com este ciclo de estagnação.

Não podemos esquecer que esta mesma Igreja, que nos envergonha, é a que se faz ouvir, ainda hoje, pela voz de João XXIII, D. Oscar Romero, D. Elder Câmara, D. Paulo Evaristo Arns, D. Pedro Casaldáliga, Irmã Doroth, D. Ivo Lorscheiter, Pe. Zezinho, Frei Betto e tantas "Marias e Josés"... Isso dá ânimo e nos enche de responsabilidade pra continuar a manter viva a chama da Fé autêntica, baseada na vida e não na lei, segundo a via que escolhemos: a da Teologia da Libertação (que não é uma nova religião; se iniciou dentro da Igreja Católica e hoje tem adeptos até fora dela).

Leonardo Boff e seu irmão, o Clodovis, continuam ativos até hoje, embora o irmão mais famoso tenha sido afastado da Ordem pelo Vaticano, devido à publicação de alguns textos, expressando os ideais da Teologia da Libertação!

Os padres da nossa comunidade, aqui em São Leopoldo/RS, no Rio Grande do Sul, estão envolvidos até o último fio de cabelo com os pobres!

É a mesma Igreja!!!
Com uma linha oficial, excludente; e outra popular, includente (como aliás já acontecia na corte de Davi e, nem por isso, o judaísmo se tornou duas religiões distintas; tampouco Deus deixou o povo judeu de lado).

Tá certo que as autoridades vaticanas estão se esforçando pra fazer a Igreja cada vez menos atraente, como agora, com a exortação pós-sinodal Sacramentum Caritatis, dizendo coisas do tipo: "segundo casamento é uma praga".

Agora, por outro lado, também não é justo que os desafetos da Igreja queiram fazer terrorismo diante dos fatos, dizendo que voltaremos à era da Inquisição, rezando missas em latim e coisas desse tipo, pois a própria comunidade mundial não permitiria tamanho retrocesso, uma vez que hoje o Estado não mais se submete à Igreja, embora esta ainda tenha grande influência em certos meios políticos.

O nosso apelo, diante da enxurrada de notícias 'vergonhosas' que estão vindo por aí, fruto da falta de carisma e do modo sempre ambíguo do atual papa se expressar, é que pensemos muito bem para 'não jogar a criança fora, junto com a água suja'! Afinal, como já bem demonstrado, ainda há bons exemplos a serem seguidos, na Igreja de Cristo, fundada pelos Apóstolos.

E viva a luta dos que preferem encarar o 'bicho' de frente do que ficar de fora, apenas 'corneteando' em volta!

4 caminhantes:

Olhe o Céu disse...

to tentando recolocar o contador e talvez recuperar os comentários...
vamos ver se sou capaz... (hehehe)
Abraço pessoas,
e não fiquem tristes com a bagunça que fiz aqui na troca da versão,
vejam o lado positivo, não perdi os links...
beijinho

sexta-feira, 16 março, 2007  
Adriana disse...

oi, triste a posição da Igreja, q parece ignorar a fé e o sofrimento deste jesuíta. Oremos.

sábado, 17 março, 2007  
malu disse...

Olá Peregrinos,

Passei por cá para vos deixar "aquele abraço". Quanto a este caso do qual não estou a par, não posso comentar muito mais, mas Olhe o Céu, é bom olhar o Papa, lê-lo e interpretar bem e principalmente confiar nele. A Igreja é só uma, um só Pastor e sem divisões. O Papa luta pela Sua união. Confio nele.

Abraços.

quarta-feira, 21 março, 2007  

Irmãos ,
Passei por aqui para deixar um abraço , me add no seu blog e eu irei add o seu.

htpp://irmaomenor.blogspot.com

PAZ E BEM !!!

domingo, 25 março, 2007